Browsing Category

Textos

Textos

Quando a velhice chega…

quando-a-velhice-chega-tpm-moderna

Não é de repente. Não é da noite pro dia.

Mas quando você se dá conta, aconteceu… não é pra ser triste, não é pra ser doído. Mas as vezes fica.

O problema da velhice, não é a idade… mas sim o fardo que vem com ela: problemas e traumas de uma vida inteira que não foram cuidados quando deveriam ter sido.

Um remédio aqui, outro ali. Conserta daqui, entorta dali. As causas e os efeitos. E aí um belo dia enquanto almoça, você se dá conta de que, por mais que você tente e queira, tudo que pode fazer pela pessoa que está ao seu lado envelhecendo é acolher. É estar ali.

Ver alguém que ama envelhecer não dói. O que dói é não ter mais o controle da situação, é não poder atrasar o relógio. É querer fazer tudo e não poder fazer nada.

Se eu puder dar um conselho: não poupe palavras e elogios. Diga mais eu te amo. Demonstre isso sempre que puder.
A paciência? Dobre se preciso. E seja gentil. O tempo todo.

A vida é mesmo muito frágil.

Mari – me acompanhe no Instagram @maribombonato

Gostou? Compartilhe:

    #marivaicasar, Casa, Casamento, Textos

    14 coisas que aprendi em 8 meses de casamento ♥

    Dá pra acreditar que já se passaram 8 meses do dia do meu casamento? De lá pra cá aprendi tanta coisa!!

    Eu e o Luccas sempre tivemos uma relação bem tranquila, sem brigas e muuuuuita conversa. Namoramos 6 anos antes de casar, não acho que tempo tenha muita relevância, mas sim a convivência, pois é com ela que conseguimos conhecer a pessoa. Mas nada se compara com o momento que você vai morar com seu parceiro, pois é no dia a dia de pagar contas, tirar o lixo, lavar banheiro e tantas outras coisas que o bicho pega.

    Não tô aqui pra dizer que tudo é fácil, que não existem problemas. Mas enquanto a balança do lado bom for superior do que o lado ruim, tudo vale a pena. Dividir a vida com alguém que você ama é maravilhoso!! ♥

    Por isso hoje resolvi fazer esse post pra compartilhar 14 coisas que já aprendi nesses 8 meses de casados. Sei que ainda tenho muuuuito para aprender, mas tem sido uma experiência e tanto!! 🙂

    Cuidar da nossa casa é gostoso:
    Quem nunca reclamou de ter que fazer alguma tarefa doméstica enquanto morava com os pais? É claro que morando sozinha ou dividindo o teto com alguém você não terá disposição todos os dias, mas é prazeroso poder cuidar do seu cantinho e ver tudo cheiroso depois. Dá uma sensação de dever cumprido, sabe?

    Ir ao mercado juntos é uma boa tarefa:
    Se você quer comida na geladeira e papel higiênico do ladinho da privada, você tem que ir ap mercado, meu amor! hahahah
    Eu particularmente adoro ir ao mercado, mas tem gente que não gosta nem de pensar. Em qualquer uma das opções, eu posso te garantir… ter alguém para te acompanhar é muito melhor, vocês fazem a compra mais rápido e passam mais um tempo juntos.

    A ceder:
    Nem sempre é fácil, eu confesso! hahahah
    Mas saber ceder é fundamental para um casamento ou relação. As coisas não podem ser sempre do seu jeito sempre e vice-versa. Ambos lados precisam ceder de vez em quando e isso ajuda a evitar uma porção de brigas bobas.

    A ter mais paciência:
    Se tem uma coisa nessa vida que eu não tenho sobrando (além de dinheiro, claro hahaha) é paciência. Na tpm então… só Jesus na causa!
    Mas a gente aprende, não sei como… mas aprende a ter mais paciência, a contar até 10, 20, 30… 100, pra não brigar, não faltar com o respeito. Se o outro fez algo que você achava que tinha que ser de outro jeito, respire e pense que ele veio de outra criação, outra família. Se tinham dias que nem com nossos pais era fácil conviver, imagina com uma pessoa que não morou a vida toda com você?

    A não agir com a cabeça quente:
    Esse complementa um pouco o último item.. eu sempre fui muito estourada com a minha mãe. Ela falava A e eu já revidava com B. A maturidade traz um pouco do bom senso na hora de agir e falar. Só não consigo me controlar muito quando a bendita tpm tá atacada mesmo hahahaha. Acreditem em mim, gritar não resolve nada e muitas vezes só machuca.

    Cozinhar a dois é muito mais gostoso:
    Eu não sei por aí, mas aqui nós dois gostamos muito de cozinhar e quando fazemos isso juntos é ainda melhor! Cada um prepara uma coisa e depois os dois limpam a sujeira. Tudo fica pronto mais rápido e ninguém se sobrecarrega. É uma delícia aprender novos pratos e descobrir novas receitas.

    Ter um momento só seu e só com seus amigos é importante:
    Ficar juntos é muito bom, mas poder ter um tempo só pra mim é maravilhoso. Adoro ficar sozinha, fazer as minhas coisinhas e cuidar de mim. Assim como também adoro poder sair com as amigas, tomar um café ou fazer qualquer outra coisa. Ninguém nasceu grudado com ninguém e é extremamente saudável para um relacionamento que ambos tenham uma vida fora dessa bolha.

    Dormir e acordar todo dia com quem você ama:
    É muito bom ir dormir sabendo que no outro dia seu amor estará ali do seu lado e que isso se repetirá por todos os outros dias. <3

    Não comparar o meu casamento com o dos outros:
    Casamento não é uma regra e a grama do vizinho sempre tende ser a mais verde, lembra? Cada um vive o seu relacionamento dentro da sua realidade. Para uns melhor, para outros nem tanto. Não compare seu casamento com o dos outros e principalmente, não julgue. Só o casal sabe o que acontece embaixo do seu próprio teto.

    Dividir tarefas é essencial:
    Aqui em casa não temos faxineira e nós dois temos nossos trabalhos. Embora eu trabalhe em casa, não posso me dar ao luxo de perder parte do meu dia limpando a casa e por isso que sempre dividimos as tarefas. Afinal, nós dois moramos por aqui, né? Então nada mais justo do que ambos limparem e colaborarem.

    Respeito é a palavra-chave:
    Sem respeito não há amor que aguente, ele deve vir em primeiro lugar, sempre. Quando esse termina, todo resto se vai também.

    Que lavar louça é uma prova de amor:
    As vezes o amor é provado assim… com a louça lavada. Quando a vez era sua, mas ele/ela lavou porque sabia que você tinha tido um dia ruim ou cheio de tarefas.

    Nem todos os dias são bons:
    As vezes o outro teve um dia ruim e tudo que a gente pode fazer é dar colo, ouvir, fazer rir ou até mesmo chorar junto. Casar é ser apoio nos dias bons e principalmente nos dias ruins. É nem precisar falar nada, mas dar o ombro para o outro chorar, gritar e reclamar. É sentir a dor do outro como a nossa.

    É preciso regar todos os dias:
    O amor é como uma plantinha, se você não regar, uma hora ele adoece. Por isso, sempre tentamos nas pequenas ações do dia a dia regar o nosso. Pequenas coisinhas fazem uma grande diferença no final do dia.

    Casamento não é conto de fadas, mas pode ser mais leve se a gente sempre se lembrar o motivo que nos fez casar com o outro. Pode ser mais feliz se a gente não tentar ter razão sempre. Pode durar pra sempre se a gente sempre tentar fazer o outro feliz, pois a felicidade do outro é a minha também. ♥

    E você? Aprendeu algo diferente no seu casamento? Compartilha aqui com a gente. 🙂

    Me siga no Instagram: @maribombonato

    Gostou? Compartilhe:

      bla bla bla, Textos

      Obrigada por tudo, 2016!

      12519179_1509572266012341_1804847342_n

      Seria muito mais fácil fazer um post dizendo o quanto 2016 foi um ano difícil pra todos nós, seja profissionalmente, pessoalmente, financeiramente ou tudo junto e misturado. Mas eu resolvi fazer diferente, porque 2016 me ensinou um bocado de coisas e, no final das contas, é isso que faz a vida valer a pena.
      Que graça teria se tudo fosse fácil? Se não existissem os momentos difíceis pra gente aprender a valorizar ainda mais os dias felizes? Meu ano não está terminando como planejado, meu noivo acabou de sofrer um acidente de moto e quebrou a clavícula, a recuperação não é fácil, mas confesso pra vocês que tem sido uma grande fase de aprendizados, de companheirismo, de amor e o mais importante: de gratidão pela vida.

      2016 aumentou a minha diante das dificuldades, me mostrou que sempre existe uma luz, mesmo quando a gente acredita que não. E acredite, ter fé é uma das coisas mais importantes da vida. E isso não tem nada a ver com religião.
      2016 me ensinou a valorizar ainda mais as verdadeiras amizades, aquelas que estão ao seu lado para realmente o que der e vier. Aquele tipo de amizade que você nem sabe como agradecer.
      2016 me trouxe coragem, desde as pequenas coisas bobas do dia-a-dia, até para encarar desafios que a ansiedade muitas vezes queria me frear.
      E falando em ansiedade, 2016 foi uma daquelas provas da faculdade que a gente torce pra conseguir tirar pelo menos 5 e no final se surpreende com seu desempenho e vocês não fazem ideia do quanto isso me deixa feliz.
      Feliz e orgulhosa, porque 2016 me provou que eu posso sim aprender a lidar com meus medos e me abrir pro novo. Que procurar ajuda não é vergonha nenhuma e que admitir pra si mesmo um problema é o primeiro passo para encontrar a solução.

      Menos desespero. Mais paciência. Menos rancor. Mais empatia.

      2016 não foi o melhor ano da minha vida, mas também não considero o pior. Aprendi tanto, que seria injusto dar para ele esse fardo. Afinal, nós ainda continuamos sendo responsáveis por aquilo que colhemos. Já parou pra pensar no que foi que você plantou no passado? Se foi só o bem, não se preocupe, no meio de tantas pedras no caminho, você também irá encontrar inúmeras flores coloridas para colher.

      E é justamente isso que eu desejo pra vocês nesse novo ano: um jardim imenso e colorido. Acredite: dias, meses e anos melhores virão!

      Agora, antes de me despedir, quero que vocês também pensem em tudo que esse ano ensinou. Afinal, foram 365 dias e é impossível que em pelo menos um deles você não tenha sido feliz.

      Reclamar menos. Agradecer mais.

      FELIZ ANO NOVO!

      Um grande beijo,
      Mari

      Gostou? Compartilhe:

        Desabafos, Textos

        Até onde as minas se unem de verdade?

        friendship-girls-love-perfect-pretty-silhouette-favim-com-47757

        A gente nunca ouviu tanto falar que as “as minas tem que se unir”, que “as manas juntas podem muito mais”, que “juntas somos muito melhores” e eu sinceramente acredito nisso e queria de verdade poder falar que isso acontece na real, mas não é o que eu vejo ao meu redor.

        O que eu vejo são pessoas querendo ser melhores do que eu, do que você. São pessoas querendo competir por algo que muitas vezes nem existe. Por posições, por status, por moda, por popularidade. A troco de que?

        A diferença entre nós? A forma como encaramos tudo isso: Ignorar ou fazer parte do jogo?

        Ignorar exige sabedoria e, por muitas vezes, sem nem perceber, nos vemos mergulhadas em um jogo que nem sabemos quando e porque começou. Uma competição vazia e que no final não tem nenhum vencedor.

        As vezes o que as pessoas mais querem é te desestabilizar e te fazer desistir de algo que você vem construindo há tanto tempo. Cabe a você decidir: vai entrar no jogo ou mirar no seu objetivo?

        Eu, mesmo caindo no meio do caminho, jamais vou permitir que alguém tire meus sonhos e metas. E a minha sorte é saber que quando isso tudo acontece, as minas de verdade, aquelas que não querem competir, aparecem para me envolver em um abraço cheio de palavras, carinho e amizade. São elas que me fazem continuar insistindo e acreditando que juntas podemos sim ser infinitamente maiores e melhores. Cabe apenas a mim aceitar e fugir de pessoas que não pensam dessa mesma forma e que vêem qualquer ato como ameaça.

        Se eu pudesse te dar um simples conselho, ele seria: pare de criar competições, não importa o motivo delas. E se você chegou a se questionar se está fazendo isso, é porque já sabe a resposta.

        Aqui só tem empatia! ♥

        Gostou? Compartilhe:

          #temnovale, Eventos, Textos

          Creators do Vale do Paraíba e Minha Opinião

          creators

          Tenho que começar esse post contando que sábado passado, 13/08, o Armindo (Blog do Armindo) em parceria com a Fábrica (agência de Youtubers do Vale do Paraíba) realizou o Creators do Vale, um evento maravilhoso que contou com vários painéis bem interessantes para criadores de conteúdo da região.

          Aliás, eu tinha uma visão completamente diferente do Armindo antes do evento e graças a Deus os pré-conceitos estão aí para serem quebrados e que ótimo quando isso acontece!

          Durante o evento foi muito discutido sobre o problema sem fim entre Creators X Empresas da região que não tem noção da importância que nós (criadores) temos. E realmente, esse é um problema no interior, mas, é um ponto que está melhorando e cada vez mais percebo algumas empresas mais modernas dando um pouco mais de atenção para blogueiros e Youtubers. Elas ainda podem não saber direito como fazer isso, mas estão aprendendo.

          Agora, um problema que ao invés de diminuir está aumentando é a rixa ridícula Creator X Creator.

          SIM.

          Faz +/- 10 anos que entrei no mundo dos blogs e mais de 6 anos e meio que tenho o TPM Moderna junto com a Mari. É tempo pra caramba!

          Em todos esses anos a coisa que mais me deixa desesperada e sem acreditar é o surgimento cada vez maior de intrigas/inveja/cópia/briga entre os que deveriam se ajudar.

          Tem briga de quem quer mandar.

          Tem briga de quem ganha mais jabá.

          Tem briga de quem vai em mais eventos.

          Tem briga de quem tem mais números.

          Tem briga de quem tem mais parceiros.

          Tem briga de quem tem mais amigos.

          Só não tem briga por conteúdo porque por incrível que pareça, tem gente que finge que é creator mas não cria quase nada.

          Deixa eu explicar uma coisa para os amiguinhos, aliás, duas:

          1. O outro blogueiro não é seu inimigo, ele é seu parceiro. Vocês não tem noção do tanto de troca de conhecimento pode acontecer em 5 minutos de conversa com outro blogueiro. Independentemente dos números dele ou do tempo que ele tem nesse meio.
          2. Se você está nesse meio pra ganhar convite pra evento e jabá faz favor de pegar o seu banquinho e sair de fininho porque CARA, VOCÊ TÁ MUITO ERRADO!

          E, com esse tempo de experiência acho que tenho um pouquinho de direito de dar algumas dicas:

          1- Não saia por aí pedindo tudo para todo mundo, muito menos de qualquer jeito. Você tem um Mídia Kit? Um email profissional? Tem pesquisa de público? Tem por escrito o seu projeto?

          2- Não pegue a mania de ficar entrando em contato com toda empresa que o outro blogueiro conseguiu parceria. Isso te queima, queima o outro blogueiro e faz a empresa ficar com ainda mais nojo dos creators.

          3- Não faça jabá (gratuito ou pago) de coisas e serviços que não se encaixam com a sua realidade e seus princípios. Exemplo: eu acho errado o comércio de animais e todo mundo que acompanha o blog sabe disso. Esses dias vieram me oferecer uma boa porcentagem para divulgar um canil. Eu aceitei? CLARO QUE NÃO. Eu precisava desse dinheiro? CLARO QUE SIM! Mas isso ia me queimar e queimar a empresa porque todo mundo ia sair xingando o canil ao invés de comprar cachorro. Princípios galera, princípios.

          4- Vai fazer uma parceria profissional com outros blogueiros? Então não misture o pessoal com o profissional. NUNCA. JAMAIS. Existem pessoas que são muito gente boa mas que não tem nenhum engajamento para se tornar um parceiro profissional. Isso vale pra vida e não somente para o mundo dos blogs.

          5- Não deixem que os outros influenciem a sua opinião sobre tal blogueiro. Sim gente, claro que tem um monte de blogueiro que eu não gosto, mas eu não gosto PORQUE EU NÃO GOSTO e não porque a amiguinha ficou falando merda dele pra mim. E infelizmente isso acontece demais entre blogs. Eu, inclusive, sou uma das odiadas, beijos.

          6- A não ser que tenha te dado dinheiro por isso: VOCÊ NÃO É OBRIGADO A POSTAR NADA SOBRE O EVENTO QUE TAL MARCA TE CHAMOU! Gente, sério, não! É gostoso ir em evento? É! É legal as vezes postar sobre, postar vlog, enfim, pra mostrar para as leitoras? É! Só que nunca, jamais nessa vida, você deve achar que a marca está fazendo um favor de te chamar para o coquetel, VOCÊ QUE ESTÁ FAZENDO UM FAVOR INDO! Brinde não paga financiamento, aluguel, conta de luz… Você só é obrigado a postar alguma coisa se a marca te pagou por isso. Mas isso não quer dizer que você não pode postar nada sobre o evento. Apenas não tem obrigação.

          E acho que por agora é isso.

          Termino esse post desejando MUITO que mais eventos no estilo do Creators do Vale aconteçam na região.

          E ah, se você é blogueiro ou youtuber do Vale do Paraíba e quer trocar uma ideia sobre esse mundo é só entrar em contato que a gente marca. É incrível o quanto de ideias podem sair disso ♥

           

           

           

           

          Gostou? Compartilhe: